A importância da capacitação do psicólogo no atendimento psicológico infantil. 

A atuação do psicólogo no atendimento psicológico infantil, cumpre um importante papel na construção da nossa sociedade. É fundamental que o terapeuta construa um vínculo adequado com a criança e que tenha flexibilidade para seguir novos caminhos de acordo com o gosto, necessidades e recursos da criança.

Desta nova porta, a criatividade de ambos poderá ditar qual a atividade mais fácil e prazerosamente poderia trazer o problema à tona e ser acessado sem grandes barreiras defensivas.

A professora e psicóloga Tatiana Guimarães , ministrante do curso Diagnóstico Psicológico Infantil, Ludoterapia e Orientação aos pais do Ciclo CEAP, explica sobre a importância da capacitação do psicólogo no atendimento psicológico infantil e fala sobre as principais orientações para um terapeuta infantil.

Desenvolvemos uma cartilha especial para você, terapeuta infantil, distribuir para seus pacientes. Você poderá imprimir, assinar ou incluir sua logo, seus principais contatos e entregar para seus pacientes.

BAIXAR CARTILHA ORIENTATIVA

Se preferir leia na íntegra todo o conteúdo do vídeo com a professora e psicóloga Tatiana Guimarães (CRP: 04/13541).

Quais são os principais motivos que fazem os pais buscarem apoio psicológico na infância e adolescência?

Os motivos que levam os pais a buscarem a terapia para seus filhos são bastante diversos, predominando dificuldades de aprendizagem e distúrbios comportamentais, especialmente agressividade e comportamento antissocial, ocorrendo igualmente em ambos os sexos.

A maioria dos conflitos tem origem na dificuldade de comunicação dentro de casa. Esse ruído na comunicação pode ser entre pais e filhos ou mesmo entre os pais que acabam repercutindo nos filhos. Há muitos problemas enfrentados na hora de educar, impor limites e principalmente a ordem dentro da família que não é respeitada.

Outra questão delicada é a rotina de trabalho dos pais, cheia de compromissos. Essa distância não permite uma maior intimidade. E essa intimidade é necessária para que os pais conheçam seus filhos, participem de suas vidas e saibam como e o que falar com eles.

Tudo isso pode levar aos problemas emocionais e comportamentais que fazem com que os pais procure o apoio psicológico para os filhos.

Hoje fala-se que existem mais pais hiperpassivos, do que crianças hiperativas. Qual o papel da família neste processo e como é feita a orientação dos pais?

A cada dia que passa percebemos a liderança da família não nas mãos dos pais (que seriam estes pais hiperpassivos), mas nas mãos dos avós e em muitos casos nas mãos dos próprios filhos que são tidos como hiperativos, sem limites, etc…

Sempre afirmo que o primeiro passo importante seria a família se organizar. Sempre pergunto: Quem é quem dentro da família? Qual o papel que cada um exerce dentro da família? Os papéis precisam estar sincronizados com os protagonistas dentro da hierarquia das funções.

A participação dos pais é fundamental para o sucesso do tratamento porque eles estão, invariavelmente, ligados ao quadro apresentado pela criança. Não se trata de culpá-los pelo problema. É que a criança é, em geral, uma espécie de reflexo da dinâmica familiar. Daí a importância do envolvimento dos pais no tratamento, para que se possa tratar a criança, orientando-os e recebendo deles o feedback necessário ao acompanhamento do caso.

Qual a importância da Ludoterapia? E em quais casos ela facilita o diagnóstico?

O objetivo da Ludoterapia é ajudar a criança, através da brincadeira, a expressar com maior facilidade os seus conflitos e dificuldades, ajudando-a em sua solução para que consiga uma melhor integração e adaptação social, tanto no âmbito da família como da sociedade em geral. Pode ser brincar de casinha, criação e prática de estórias e contos de fadas, jogo do rabisco, desenho, pintura, modelagem, dentre várias outras atividades. Ao brincar, a criança atua representando as situações que a afligem. Brincar é uma forma de linguagem clara para as crianças.

No atendimento infantil a ludoterapia sempre será um excelente recurso para qualquer diagnóstico investigado ou trabalhado pelo terapeuta.

Quais são as principais observações para um terapeuta infantil?

1º) É fundamental que o terapeuta construa um vínculo terapêutico adequado com a criança e que tenha flexibilidade para seguir novos caminhos de acordo com o gosto, necessidades e recursos da criança. Desta nova porta, a criatividade de ambos poderá ditar qual a atividade mais fácil e prazerosamente poderia trazer o problema à tona e ser acessado sem grandes barreiras defensivas.

2º) As crianças em processo terapêutico tendem a manifestar bastante afetividade em relação ao terapeuta, o que facilita muito todo o trabalho porém, o terapeuta deverá corresponder com reserva, pois seu papel será sempre acolher a criança tendo em mente levá-las em busca da sua independência e autonomia, o que é feito gradativamente. Assim, o vínculo afetivo mais forte vai se desfazendo de forma lenta e natural, preparando a criança para receber alta do processo terapêutico sem sentir-se abandonada, rejeitada ou privada de um lugar que lhe fazia sentir-se muito bem.

Sobre o Curso Diagnóstico Psicológico Infantil, Ludoterapia e Orientação aos pais

O objetivo do curso Diagnóstico Psicológico Infantil e Ludoterapia é tornar o participante apto para o trabalho com crianças, através de diversas técnicas de diagnóstico que compreendem testes de personalidade,  de aptidões e técnicas de entrevistas. Objetiva também fornecer recursos de compreensão e atendimento (Ludoterapia), além de orientação para intervenção com pais e educadores. O curso compreende conteúdo prático e teórico que auxilia na elaboração de documentos psicológicos (declaração, atestado, laudo/ relatório e parecer) e abordagem de diversos temas atuais ligados a psicologia infantil.

Curso Presencial com Certificado
40 horas/aula
Público: Psicólogos e estudantes de Psicologia
Mais informações: www.cicloceap.com.br

Artigo anteriorPróximo artigo