Qual tipo de curso deve ser feito pelos psicólogos?

Cursos de Capacitação x Cursos de Especialização x Mestrados e Doutorados

Uma coisa é inegável: o psicólogo deve estar sempre estudando. Nossa ferramenta de trabalho é o conhecimento, e ele é praticamente infinito!

Porém, uma dúvida muito comum é sobre qual tipo de curso fazer, e se os cursos reconhecidos pelo MEC são os melhores e os mais confiáveis.

Entenda os principais conceitos e escolha o que for mais adequado para o seu momento

Primeiramente vamos esclarecer sobre os termos usados quando o assunto é curso.

De forma geral, todo curso que é feito após a graduação é um curso de pós graduação. No entanto, o termo “pós” é comumente relacionado à especialização.

A especialização, segundo orientação do MEC deve ter 360 h mínimas de carga horária e deve ser oferecido por uma faculdade reconhecida. Não existe um reconhecimento específico de todos os cursos de especialização no Brasil, mas sim das instituições que os oferece.

Já os mestrados e doutorados, para funcionar precisam ser reconhecidos pelo MEC, e também devem estar vinculados a uma instituição de ensino superior também reconhecida, sendo o título de mestre ou doutor conferido aos alunos que concluírem todas as etapas.

Os cursos de capacitação são cursos livres, normalmente focados em uma área específica do conhecimento, e fornecem informações sobre uma prática associada àquela área. Os cursos de capacitação têm por objetivo fazer com que o profissional adquira conhecimentos para que possa executar de forma atualizada eficaz, as práticas para as quais já está autorizado a exercer através da sua graduação. Estes cursos não precisam de reconhecimento do MEC.

Por exemplo: Um psicólogo já está autorizado a fazer um psicodiagnóstico, mas ele pode não se sentir apto a fazê-lo. Ele procura um curso de capacitação para aprender todos os passos do processo, os testes que devem ser aplicados, como fazer o relatório final e demais necessidades para fazer um bom psicodiagnóstico.

Qual deve ser a sua preocupação?

Resumindo, as pessoas devem se preocupar com reconhecimento pelo MEC apenas para mestrados e doutorados.

Para especialização e capacitação, devem se preocupar com a qualidade da instituição que está oferecendo o curso.

Mas para entender qual caminho seguir na hora de escolher um curso, a pessoa deve examinar quais são seus objetivos.

Se ela quer fazer um curso para obter uma titulação e para seguir a carreira acadêmica formal, o caminho é fazer um mestrado ou doutorado.

Para as pessoas que já sabem bem em que desejam se qualificar, um curso de especialização, ou vários cursos de capacitação focados no seu interesse é a melhor opção.

Lembre-se que um curso de especialização é montado com vários módulos pré-determinados pela equipe que formulou sua grade de matérias.

Já os cursos de capacitação podem ser feitos um a um, de acordo com o interesse e a disponibilidade do aluno. É como se ele escolhesse as matérias de sua formação.

Para as pessoas que querem conhecer várias ferramentas e técnicas para se instrumentalizar e atuar de forma mais segura, as capacitações são mais indicadas.

Como deve ser um curso de capacitação?

Uma boa capacitação deve ter foco, objetividade e deve ser voltada para a prática.

As capacitações normalmente não tem carga horária mínima. Elas são formatadas para ter o tempo necessário para que se possa passar o conhecimento específico proposto. Por isto este tipo de curso costuma ser mais objetivo, com todo o tempo focado no tema, e com orientações para aprofundamento, se for o caso.

Uma capacitação é uma ótima opção para quem quer conhecimento aplicável em pouco espaço de tempo, e também para aquelas pessoas que querem conhecer várias áreas de atuação antes de escolher uma área específica para se especializar.

Tudo depende do objetivo e do momento da carreira da pessoa.

Seja qual for a sua escolha, conhecimento é sempre bem-vindo e a chave para uma atuação segura, efetiva e consequentemente de sucesso.

Artigo anteriorPróximo artigo