Personalidades da Psicologia: William James
Personalidades da Psicologia: William James
7 de maio de 2020
Diagrama de Conceitualização Cognitiva
Diagrama de Conceitualização Cognitiva
11 de maio de 2020
Exibir tudo

As 10 Competências Profissionais do Psicólogo Empresarial

*Baseado no elenco de competências apresentado no livro: Modelo de Competências e Gestão de Talentos – Maria Rita Gramigna – Makron Books/ 2002.

1. RESILIÊNCIA: Termo oriundo da Física que significa a capacidade de um objeto em absorver pressão e resistir a choques. Como competência humana representa a capacidade em lidar com pressões e situações adversas do ambiente de trabalho sem prejudicar sua saúde física e psicológica. Capaz de suportar as diferentes exigências do meio com flexibilidade.

Veja um estudo sobre a Resiliência e sua importância como competência profissional, aqui:
http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/9-passos-para-ter-mais-resiliencia-no-trabalho

2. COMUNICAÇÃO: Capacidade de ouvir, processar e compreender o contexto da mensagem, expressar-se de diversas formas e argumentar com coerência usando o feedback de forma adequada, facilitando a interação entre as partes. Possui comunicação limpa e assertiva.

Leia aqui um artigo bem objetivo sobre a competência comunicação e seu valor:
http://www.rh.com.br/Portal/Comunicacao/Artigo/7680/comunicacao-eficaz-uma-competencia-rara-no-ambiente-corporativo.html

3. CRIATIVIDADE: Capacidade para conceber soluções inovadoras viáveis e adequadas para as situações. Facilidade para identificar novas oportunidades de ação. Adota uma atitude experimental, disposto a correr riscos e transformar ideias em realidade utilizando meios inusitados ou incomuns de forma útil.

• Não poderia deixar de aprofundar nas considerações sobre a competência Criatividade e o quanto ela é importante para a realização Profissional, ok?!

CRIATIVIDADE E REALIZAÇÃO PROFISSIONAL

O ser humano exercita sua criatividade por meio de novas ideias que surgem em sua mente. Muitas vezes as ideias têm um grande potencial para solucionar problemas técnicos ou sociais, mas não são devidamente aproveitadas ou desenvolvidas. Na realidade, só poderão fazer parte do nosso cotidiano se houver competência para transpor o lampejo criativo em ações coerentes e organizadas. Transformando-as, por exemplo, em projetos.

Para sermos competentes de verdade, precisamos estar preparados por meio de atitudes adequadas e bem direcionadas para o processo de mudança. Além, é claro, de conhecimento do assunto que nos torna capazes de detectar as necessidades básicas para o andamento do projeto. Saber aproveitar nosso talento e o potencial não é tarefa fácil.

Percebemos, rapidamente, que muitos são os fatores que influenciam um ato criativo, como habilidade pessoal, ambiente social, momento histórico ou a própria história de vida do sujeito. De qualquer forma, um aspecto de extrema importância para o sucesso de um projeto criativo é a orientação e o auxílio recebidos para a sua realização, por meio de parcerias que convertem nossas “ideias” em ações efetivas e transformadoras.

É importante ressaltar a realização pessoal e profissional que esses projetos trazem aos envolvidos e à sociedade, pois proporcionam profundas e significativas melhorias à qualidade de vida do homem, transformando o futuro do planeta. Assim, não desista de seus planos, projetos, ideias etc. Mas também construa os meios de realizá-los com eficácia!

4. CULTURA DA QUALIDADE: Postura orientada para a busca contínua da satisfação das necessidades e superação das expectativas dos clientes internos e externos. Desenvolve seu trabalho com zelo tornando-o especial. Profissional voltado para a superação de seus próprios limites técnicos. Preocupado com atualização e aperfeiçoamento.

5. LIDERANÇA: Capacidade para catalisar os esforços grupais, de forma a atingir ou superar os objetivos organizacionais, estabelecendo um clima motivador, formação de parcerias e estimulando o desenvolvimento da equipe. Seleciona alternativas de forma sistematizada e perspicaz, obtendo e implementando soluções adequadas diante de problemas identificados, considerando limites e riscos.
• Desenvolver um Planejamento de Carreira também é uma expressão da competência Liderança, sabia?!

6. MOTIVAÇÃO: 
Capacidade de demonstrar interesse pelas atividades que vai executar, tomando iniciativas e mantendo atitude de disponibilidade. Apresentar postura de aceitação e tônus muscular que indica energia para os trabalhos. Percepção apurada sobre os assuntos relacionados ao seu campo de atuação.

• Aqui temos também um aprofundamento, afinal, a Motivação é uma das competências mais debatidas em todo o mundo!

MOTIVAÇÃO: Energia para o trabalho

O trabalho exige bastante do nosso tempo, em geral, muito mais de um terço do dia. Logicamente, boa parte de nossa vida é representada pela qualidade do que realizamos em nossas atividades. Quando apresentamos nosso trabalho as pessoas identificam e destacam nossas habilidades e, muitas vezes, até expressam verbalmente sua impressão e ou guardam um conceito sobre o que nós “somos”. Assim, torna-se importante perceber e refletir sobre qual é esta impressão que as pessoas constroem sobre nós via trabalho contínuo.

Estamos representando aquela pessoa que evolui e a cada dia surpreende pela competência em suas ações profissionais? Ou nossa imagem de trabalhador, se me permitem a comparação, reflete um refrigerante “sem gás” que tinha tudo para ser perfeito e adequado, mas o potencial foi sumindo ou até mesmo trocado por intrigas pessoais que só poluem o ambiente?

Tudo o que realizamos no trabalho representa nossa força, energia e motivação para crescer. As consequências disso? O crescimento de todo o grupo, pois as atividades tornam-se mais efetivas, polidas e transformadoras. Existe uma seleção natural no ambiente de trabalho que separa aqueles que estão em crescimento, assimilando e aperfeiçoando novas atividades; e aqueles que estão diminuindo, produzindo pouco ou sem envolvimento real com as ações.

Afinal, uma indagação, toda a sua equipe de trabalho e colaboradores que acompanham estão em crescimento? Espero que sim… E que um dia possamos todos ensinar o que é trabalho agindo como multiplicadores do bem-estar profissional e social.

7. NEGOCIAÇÃO: Capacidade de expressar e ouvir o outro, buscando equilíbrio de soluções satisfatórias nas propostas apresentadas pelas partes, quando há conflitos de interesse. Observa o sistema de trocas que envolvem o contexto. Mediador hábil na resolução de problemas que “engessam” o fluxo do trabalho.

Muitas vezes não percebemos que negociação é comportamento no sentido de condução, aproximação e empatia. Boa leitura sobre comportamento numa negociação valorizando relacionamento ou ganho financeiro conforme uma matriz estratégica no Livro:
MELLO, José Carlos Martins F. de. Negociação baseada em estratégia. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2005.

8. PLANEJAMENTO:
 Capacidade para planejar o trabalho, atingindo resultados através do estabelecimento de prioridades, metas tangíveis, mensuráveis e dentro de critérios de desempenho válidos. Organiza suas ações de acordo com o planejado, de forma a facilitar a execução.

A competência planejamento é a que representa melhor as práticas organizacionais. O mais importante no processo de planejamento inicialmente é o seu efeito de organização de processos e junto disso ter uma visão de mercado adequada para criar objetivos competitivos reais e, claro, os instrumentos de avaliação de resultados como índices de desempenho!

Sem esta competência também não temos, lógico, planejamento de carreira.

9. RELACIONAMENTO INTERPESSOAL: Habilidade para interagir com as pessoas de forma empática, inclusive diante de situações conflitantes, demonstrando atitudes assertivas, comportamentos maduros e não combativos. Bom relacionamento com equipes de trabalho, hierarquias e clientes.

10. VISÃO HOLÍSTICA: Capacidade para perceber a integração e interdependência das partes que compõem o todo, visualizando tendências e possíveis ações capazes de influenciar o futuro. Compreensão superior dos fatores envolvidos nas situações apresentadas ou meta a ser alcançada.

Considero a Competência Visão Holística como especial porque não é possível desenvolvê-la sem expertise ( http://www.significados.com.br/expertise/ ).
Apenas profissionais diferenciados que desenvolveram uma capacidade perceptiva apurada graças a motivação e persistência em seus interesses profissionais podem realmente apresentá-la!

Que tal começar a pensar em como está a sua visão holística? Você lembra da Gestalt? Onde o todo é maior do que a soma das partes? Vale a pena rever esses conceitos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *