Psicologia no Brasil: a travessia para os 50 anos

50 anos de psicologiaO Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais (CRP-MG), prepara eventos com o tema “Psicologia no Brasil – a travessia para os 50 anos”. As atividades, gratuitas e abertas ao público, acontecem durante o mês de agosto em todo o Estado.

Lembrando que a história da Psicologia começa com a criação do Laboratório de Wundt, no final do século XIX, reconhecida como o marco inicial da concepção da Psicologia como ciência e traz,

desde seu nascimento, preocupações relativas à aplicação do conhecimento psicológico.

Nas primeiras décadas do século XX, início da sociedade industrializada, o Brasil é marcado pelos movimentos em prol da expansão do sistema educacional e, Minas Gerais, tem um papel relevante na construção da profissão da Psicologia, por meio dos ideais educacionais que expressam a necessidade de construção de uma nova sociedade, em que atuem os sentimentos de liberdade e democracia.

Nos anos 50, o grande acontecimento era a luta pela instituição da Psicologia como profissão e da criação e instalação dos cursos de formação de psicólogos, resultando em 27 de agosto de 1962, na publicação da lei nº 4119/62, que regulamenta o exercício da profissão, e no Parecer 403/62 que fixa o currículo mínimo e a duração do curso de Psicologia.

Em 20 de dezembro de 1971, sob a Lei 5.766, ficam criados o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicologia, dotados de personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa e financeira, constituindo em seu conjunto, uma autarquia, destinada a orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão de psicólogo e zelar pela fiel observância dos princípios de ética e disciplina da classe.

Psicologia: uma profissão de diferentes fazeres e múltiplos atores

Em 2000, na I Mostra Nacional de Práticas em Psicologia, nomeada Psicologia e Compromisso Social, o trabalho do psicólogo se tornou objeto de exposição, de debate e de troca, permitindo que a Psicologia fosse exposta, conhecida e discutida pela categoria e pela sociedade, dando visibilidade às novas práticas comprometidas com a realidade social e com o controle social.

Em tempos de modernidade os psicólogos são desafiados por novos olhares, diversos questionamentos e, sobretudo, pelo propósito de interação em uma sociedade dinâmica, cambiante e transformadora. Hoje, a Psicologia é um fazer solicitado pelos diversos segmentos do tecido social, tendo seu discurso entrelaçado no cotidiano de qualquer cidadão e cidadã. Os profissionais constroem e estão presentes no dia-a-dia da escola, da universidade, do posto de saúde, do hospital, do trânsito, da mídia, da arte e nas diversas esferas de participação.

A Psicologia não é mais exclusividade do saber acadêmico, restrito a poucos; é uma construção madura, experiente e consolidada, que colabora e se inscreve em uma dinâmica de novas produções constantes.

2011: comemoração da travessia para os 50 anos da Psicologia no Brasil

O que os psicólogos têm a comemorar? A resposta é abrangente, mas, se refere especialmente à inserção, participação e legitimidade dos profissionais da Psicologia. Trajetória construída a partir de um trabalho permanente, legitimado pelas conquistas do dia a dia, pelo esforço sustentado e pela convicção plena de que nosso fazer produz diferença. Há muito o que percorrer, mas, hoje, a Psicologia é imprescindível numa sociedade moderna, democrática e participativa.

É nessa perspectiva que o Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais convida profissionais e estudantes a celebrar o Dia do Psicólogo. Confira a programação pelo site do CRP/MG.

Fonte: Site CRP
Artigo anteriorPróximo artigo