O que aconteceu com o setting terapêutico na pandemia?
16 de abril de 2021
A ferida da separação: o apego como direito fundamental
A ferida da separação: o apego como direito fundamental
24 de abril de 2021
Exibir tudo

O que é permitido ou não no marketing para psicólogos?

Marketing para psicólogos Publicidade x Psicologia

Como você divulga o seu trabalho? Você sabe o que pode ou não fazer para divulga-lo?

Este assunto ainda é rodeado de muitas dúvidas, críticas e debates, o que acaba inibindo a promoção do trabalho do psicólogo… E isto não faz o menor sentido!

Como psicólogos temos uma missão muito importante de promover a saúde mental, trazer acolhimento e entendimento, provocar reflexões e auto-conhecimento, dentre muitas outras coisas. Mas se não divulgamos, como as pessoas que se beneficiarão desse nosso dom poderão nos encontrar?

Além disso, a verdade é que, seja qual for o seu ramo de atuação, a prestação de serviços é um negócio, que deve gerar renda para quem executa o trabalho. Para que isso ocorra, ele pode e deve contar com a ajuda de ferramentas para se desenvolver.

O marketing é uma dessas ferramentas e NÃO É PROIBIDO para o psicólogo.

É preciso sim, ter cautela e muita ética para utilizar essa ferramenta e saiba que, seus benefícios vão além de só atrair clientes. O marketing bem aplicado, pode fazer com que suas habilidades e competências cheguem até pessoas que não teriam acesso aos seus serviços, simplesmente por desconhecê-lo.

Mas afinal o que é permitido ou não no marketing para psicólogos?

Existem algumas regras elaboradas pelo Conselho Federal de Psicologia que norteiam a forma que os psicólogos podem fazer o seu marketing profissional. Por exemplo, a divulgação de preços de serviços não deve ser incluída em suas atividades de marketing. Além disso, previsões taxativas, diagnósticos, atividades e recursos relativos a técnicas psicológicas não reconhecidas estão vedados.

O profissional não pode assegurar um prazo ou dar certeza quanto à solução do problema do paciente, já que dentro da Psicologia não há como garantir a efetividade do trabalho.

Vale lembrar que o psicólogo normalmente lida com questões delicadas, sigilo, fragilidade, conflito, e muitas vezes com pessoas vulneráveis, que precisam de ajuda. Isso significa que táticas de persuasão e vendas não devem ser inseridas na sua estratégia de marketing.

Outro ponto importante é levar em consideração que suas ações no ambiente online terão abrangência ilimitada, e por conta disto, jamais exponha seus pacientes, citando casos que possam identificá-lo.

O que diz o Código de Ética da Psicologia?

Art. 20 – O psicólogo, ao promover publicamente seus serviços, por quaisquer meios, individual ou coletivamente:

a) Informará o seu nome completo, o CRP e seu número de registro;
b) Fará referência apenas a títulos ou qualificações profissionais que possua;
c) Divulgará somente qualificações, atividades e recursos relativos a técnicas e práticas que estejam reconhecidas ou regulamentadas pela profissão;
d) Não utilizará o preço do serviço como forma de propaganda;
e) Não fará previsão taxativa de resultados;
f) Não fará auto-promoção em detrimento de outros profissionais;
g) Não proporá atividades que sejam atribuições privativas de
outras categorias profissionais;
h) Não fará divulgação sensacionalista das atividades profissionais.

Outros 2 artigos que devemos ficar de olho:

Art. 18 – O psicólogo não divulgará, ensinará, cederá, emprestará ou venderá a leigos instrumentos e técnicas psicológicas que permitam ou facilitem o exercício ilegal da profissão.
Art. 19 – O psicólogo, ao participar de atividade em veículos de comunicação, zelará para que as informações prestadas disseminem o conhecimento a respeito das atribuições, da base científica e do papel social da profissão.

Contudo, nada impede que você utilize o MARKETING DE CONTEÚDO para divulgar conhecimentos relevantes da psicologia, e principalmente informações que mostrem o seu domínio na área. Assim você pode estabelecer-se como referência e cativar as pessoas que podem se beneficiar do seu trabalho.

As ferramentas on-line são formas de interação muito frequentes hoje em dia pelo fato de serem dinâmicas e, apesar de suas especificidades, isso não impossibilita a publicidade dos serviços de psicologia. Mas, seja off-line ou na internet, a propaganda deve se enquadrar nas orientações do Conselho Federal de Psicologia.

Agora que você já conhece as regras, conta pra mim se ainda possui alguma dúvida sobre a divulgação do seu trabalho?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *