A PSICOLOGIA EM TEMPOS DE CORONAVIRUS
20 de março de 2020
Como trabalhar ansiedade, e emergências emocionais em tempos de isolamento?
Como trabalhar ansiedade, e emergências emocionais em tempos de isolamento?
31 de março de 2020
Exibir tudo

Sei que nada será como antes, amanhã

Man holding an earth globe in his hands. Earth image provided by NASA.

QUANDO FOI QUE NOS PERDEMOS?

Em algum momento isto aconteceu com todos nós, quando deixamos de ser quem somos para mostrar uma outra face que não nos serve. Quando foi que nos perdemos, deixando de valorizar o que realmente importa e escolhendo o que escolheram por nós? Quando foi que nos perdemos quando preferimos o caminho mais fácil, diante de uma dificuldade ou algo novo que não sabíamos como agir?

Quando foi que nos perdemos nas decisões, nos diálogos e nas relações humanas, sem atendermos aos nossos próprios desejos e intuições. Perdemo-nos em caminhos escuros e sem orientação, porque preferimos o que era mais cômodo. Para encontrar de novo o norte, a trilha, o rumo que nos dá continuidade é preciso procurar aquele que somos, sem máscaras e sem ilusões, sem medos e sem rancores, com a luz que brilha no interior e com a visão maior que nos faz melhores a cada dia.

O momento é de mudança, de fazer o que nunca fizemos, de pensar o que nos parecia irreal, de sentir o que nos faz mais humanos e de reconhecer que “nada será como antes, amanhã”!

Claudio Motta

Advogado, Empresário e Escritor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *